Adubação orgânica para hortas caseiras

Adubação orgânica para hortas caseiras

As plantas necessitam de vários nutrientes para se desenvolverem de forma equilibrada e cumprirem sua função no ambiente. São mais de 35 nutrientes absorvidos pela planta, no entanto existem aqueles que são exigidos em maior quantidade.

Para facilitar sua compreensão, os nutrientes essenciais para as plantas foram divididos em Macronutrientes e Micronutrientes. De forma bem simples, os Macronutrientes são os que as plantas absorvem em maior quantidade e os micronutrientes são absorvidos em menor quantidade.

Isso não significa que a importância de um nutriente está na quantidade que a planta absorve. O que importa é o equilíbrio nutricional de tal modo que se aquele nutriente que a planta absorve em pequena quantidade não estiver presente ou em deficiência, pode interferir na absorção de outros nutrientes e, por consequência no desenvolvimento da planta.

Macronutrientes e Micronutrientes

Os macronutrientes são o Nitrogênio (N), Fósforo (P), Potássio (K), Cálcio (Ca), Enxofre (S) e Magnésio (Mg). Os micronutrientes mais importante são o Boro (B), Zinco (Zn), Cobre (Cu), Ferro (Fe), Manganês (Mn), Molibdênio (Mo) e Níquel (Ni).

O símbolo de cada nutriente acompanha a tabela periódica dos elementos, por isso que o Fósforo, por exemplo é representado pela letra “P”, (Phosphorus em latin).

Cada nutriente exerce uma ou mais funções na planta de tal modo que seu excesso ou falta prejudica vários processos vitais para seu desenvolvimento. Há também interações benéficas e maléficas entre os nutrientes como por exemplo a relação Ca/Mg que de acordo com pesquisas para alguns cultivos, deve estar em 4 partes (Ca) para 1 parte (Mg) na planta. Outra exemplo é a função do potássio como estimulante para a planta resistir ao ataque de insetos e pragas.

Fontes de Nutrientes

Todas as fontes de nutrientes para as plantas são naturais, são extraídos da natureza! O que diferencia são os processos químicos e industriais que essas fontes passam para agregar alguma função como a solubilidade, concentração e maior disponibilidade para as plantas.

A agricultura mundial utiliza fontes de nutrientes altamente solúveis baseadas em Nitrogênio (N), Fósforo (P) e Potássio (K), conhecido como N-P-K. Com certeza se você já foi numa loja agrícola ou de jardinagem se deparou com adubos com essas letras.

Ocorre que o uso de adubos muito solúveis trazem alguns efeitos colaterais como a acidificação mais rápida do solo, aumento da infestação de pragas, diminuição dos microrganismos do solo, além de um grande gasto energético nos processos industriais de obtenção.

O uso dessas fontes de nutrientes  é proibido em sistemas de produção de alimentos orgânicos, são preferidos fontes orgânicas provenientes da transformação de restos vegetais e animais através da compostagem (fermentação) realizada por centenas de milhares de microrganismos. Eles decompõem a matéria orgânica, liberando os nutrientes para as plantas.

Então se você já tem ou pretende fazer uma horta orgânica de qualquer tamanho, use somente adubos orgânicos que vão fornecer bem mais que os nutrientes para as plantas. Estão presentes nos adubos orgânicos, microrganismos benéficos ao solo, hormônios vegetais, indutores de crescimento e de resistência às pragas e doenças. Melhora a capacidade do solo em armazenar água, facilita sua aeração e a descompactação.   

As fontes orgânicas de nutrientes mais comuns são: Estercos de animais (bovino, equino, caprino, coelhos, suínos). Húmus de minhocas, obtido pelo processo de digestão da matéria orgânica pelas minhocas, aliás escrevi um artigo sobre o poder do húmus de minhoca e os passos para obtenção.

O problema de sua utilização é a disponibilidade e a qualidade desses tipos de adubos aí na sua região. Você tem dois caminhos: fazer seu próprio adubo orgânico ou compra-lo em lojas de jardinagem e/ou agrícolas.

O primeiro caminho requer mais tempo e matéria orgânica em qualidade e quantidade suficientes, mas esse assunto vou tratar nos próximos artigos. O segundo é mais fácil e rápido e você deve estar atento a origem desse adubo, alguns vêm misturados com fontes solúveis como a uréia (fonte de N), superfosfato simples (fonte de P) e cloreto de potássio (fonte de K).

Aqui vai algumas recomendações que devem ser observadas no momento da compra de adubos orgânicos:

  • Prefira adubos com o Selo Nacional de Conformidade Orgânica, ele é mais uma garantia que é permitido para sua horta;
  • Observe algumas informações no rótulo como a umidade e a garantia mínima de nutrientes. A umidade tem que ser no máximo 30%, cuidado para não comprar mais água a adubos; As garantias mínimas de nutrientes servirão de base para calcular a quantidade de adubos aplicados em sua planta, e se você tem dúvidas em relação a isso, posso te ajudar com recomendações específicas para o seu caso.
  • Uma informação simples mas que muita gente não se atenta é a validade. Adubos orgânicos fora da validade podem estar contaminados com fungos e bactérias que causam doenças em plantas. A quantidade de nutrientes diminui ao longo do tempo. Já atendi muitos agricultores que compraram adubos orgânicos fora da validade ou não se atentaram para essa informação e não tiveram resultado esperado.

Quando e quanto usar?

Cada planta tem  necessidades específicas de nutrientes, e para fazer uma recomendação mais precisa de adubação é necessário conhecer o seu solo. Para isso só coletando uma amostra e enviar para um laboratório para conhecer a quantidade de nutrientes seus índices de fertilidade.

Como sei que para hortas orgânicas caseiras, esse tipo de análise é mais difícil de ser realizada, existem algumas recomendações básicas para o momento de plantio e manutenção da sua horta.

Horta em vasos

A absorção de nutrientes das plantas em vasos é diferente pois as raízes têm impedimentos físicos ao seu crescimento. Dessa forma a absorção  pode ocorrer de forma mais intensa em  todo o volume do vaso, o que não ocorre quando plantadas em canteiros.

Hortaliças folhosas (Alface, cebolinha, coentro, couve e salsa)

Adubação de plantio: 1:1 ( uma parte de terra para uma parte de adubo orgânico)

Adubação e manutenção: 50 a 100 g por vaso a cada 15 dias dependendo do ciclo da hortaliça, para alface por exemplo duas adubações bastam pois ela será colhida com 25 a 35 dias após o plantio nos vasos

Hortaliças que dão frutos (Tomate, pimenta, pimentão, berinjela, abóboras)
Adubação de plantio: 2:1 (duas partes de terra para 1 parte de adubo)
Adubação de manutenção: 150 a 200 g de adubo orgânico por planta após 30 dias do plantio até o início do florescimento, aumentar para 200 a 300 g por planta a cada 15 dias na fase de florescimento e frutificação.

Horta em canteiros e berços

Para hortas orgânicas em canteiros o parâmetro de adubação usado é a quantidade por metro quadrado de canteiro. Berços são orifícios circulares, retangulares ou quadrados feitos no solo para o plantio sem a necessidade de canteiros. É mais comum chamar de covas, no entanto a palavra cova é usada para coisas mortas, neste caso estamos plantando seres vivos, então a palavra berço gera um sentido de cuidado maior, aliás essas plantinhas são verdadeiros bebês.

Hortaliças folhosas

Adubação de plantio: 1 a 2 kg/m2 de adubos orgânicos
Adubação de manutenção: 300g/m2 15 dias após o plantio dependendo do ciclo da hortaliça.


Hortaliça-fruto em berços

Adubação de plantio: 500 a 600g/planta
Adubação de manutenção: 300g/planta 20 dias após o plantio, repetindo a cada 20 dias até o início do florescimento. Nesta fase aumentar para 400g/planta mantendo a mesma frequência de aplicação.

Só lembrando que são recomendações médias baseadas na literatura, e em minha experiência ao longo de 12 anos ajudando agricultores na área urbana e rural a cultivarem hortas e pomares em transição ou em sistemas orgânicos consolidados.

Se você cultiva ou pretende cultivar em áreas acima de 1000 m2 recomendo que faça uma análise química e física do solo e peça para um Agrônomo fazer a interpretação e recomendação da adubação. Sei que ainda ficaram algumas dúvidas, não se acanhe e escreva suas perguntas e sugestões  na área de comentários.

Então, bora plantar?

Espero que você tenha gostado desse artigo!

Quer receber os artigos da Universidade Orgânica no seu e-mail? 

Responsive image

Fabio Morais


Gosto do cheiro da terra molhada e tomar banho de chuva. Gosto da roça, do contato com a terra. Minha profissão! Engenheiro Agrônomo que ama a agricultura orgânica e agroecologia.
  • Aline de Mello

    Oi Fabio, e a torta de mamona, é um bom fertilizante? É considerado orgânico? Obrigada pelas dicas.

    • Fabio Morais

      Sim Aline. Se é orgânico ou não vai depender do processo de obtenção. Mas independente disso, pode usar com tranquilidade.