Sua Alimentação é Segura?

Sua Alimentação é Segura?

Provavelmente você que está lendo as primeiras linhas desse artigo, já deve ter almoçado, ou realizado alguma alimentação. Vamos dizer que sim, e já está bem alimentado. Reparou em seu prato hoje, aquela bela dupla super brasileira que adoramos o arroz e feijão, uma bela salada de alfaces com rodelas de tomates e cenouras. Para aquele não vegetarianos, um  belo bife acebolado – hum.. deu até fome agora.

Seu prato está deliciosamente saudável, com porções certas de proteinas, carboidratos e vitaminas, certo? Bem, pode não ser assim! Alimentação de forma saudável tem uma conotação bem voltada para as questões nutricionais dos alimentos, que na quantidade certa, fazem bem a saúde.

Vamos inserir agora a noção de segurança alimentar. Pode ser que seu delicioso prato seja nutricionalmente perfeito, mas, não seguro. O conceito de segurança alimentar e nutricional, se baseia na premissa de que todos devem ter acesso a uma alimentação saudável, em quantidade e qualidades suficientes, e a qualquer momento. Sem deixar de lado as boas práticas alimentares respeitando sempre as características culturais, e que sejam ambientalmente sustentáveis. Eis aí o problema!

Para produzir nosso alimento,  os agricultores utilizam toneladas de adubos químicos sintéticos e agrotóxicos que tem a função de aumentar a produtividade e combater pragas que atacam as lavouras, respectivamente. O Brasil está na liderança Mundial no consumo de agrotóxicos. O problema é que essa tecnologia tem se mostrado muito agressiva ao meio ambiente – e quando digo meio ambiente, incluo todos nós.

Uma prova disso, é que nosso País ainda permite mais de 20 tipos de agrotóxicos que já foram banidos em vários países da Europa e nos Estados Unidos por causarem danos a saúde como canceres, mutações genéticas, má formação embrionária e uma séries de outros problemas relacionados a contaminações.

Pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso coletaram e analisaram o leite materno de 62 mulheres da cidade de Lucas do Rio Verde – MT,  desde o segundo a oitavo mês de amamentação. Os resultados foram no mínimo alarmantes. Todas as amostras de leite estavam com pelo menos um tipo de agrotóxico. Neste caso a questão é mais complexa pois temos que saber de onde está vindo a exposição aos agrotóxicos. Pode ser da água, dos alimentos e até da chuva.

Isso é muito grave, pois os bebês ao ficarem expostos aos agrotóxicos são muito mais vulneráveis e não se sabe ainda as conseqüências dessa exposição ao longo de sua vida.

Todos os anos a Agência Nacional de Vigilância sanitária (ANVISA), órgão do Governo responsável por monitorar a qualidade dos alimentos, realiza o monitoramento  de resíduos de agrotóxicos nos alimentos. Nos anos de 2011 e 2012, por exemplo, foram encontrados irregularidades em amostras de Alface, Pimentão, Cenoura, Pepino, Uva, Abacaxi, Laranja e Morango.  Três tipos de irregularidades foram detectadas: Amostras com níveis acima do permitido Legalmente, com resíduos não permitidos para o cultivo e até o uso agrotóxicos proibidos no Brasil.

Não fique assustado! Existe uma saída. Optar pelo consumo de alimentos orgânicos é uma forma de minimizar o problema.

A produção de alimentos orgânicos não se resume só ao não uso de agrotóxicos, mas a uma série de técnicas que aumentam a fertilidade do solo, a biodiversidade, preserva florestas, aumenta a disponibilidade de agua e preserva quem produz e quem consome.

Aí você pode pensar que os orgânicos são muitos caros, sim por enquanto são, mas existem opções como, por exemplo, comprar em feiras livres diretamente do agricultor.

Outra opção e fazer sua própria horta orgânica na sua casa. Hoje em dia é plenamente possível e alem de ter alimentos fresquinhos, sua família estará toda envolvida em uma atvidade muito prazerosa e didática que demanda pouco tempo e dinheiro. O resultado é uma verdadeira alimentação segura. O seu prato estará com alimentos orgânicos que sua família produziu. Não podemos ser saudáveis pela metade!

O que você achou do artigo? Sabe o que é um alimento orgânico?

 Faça seus comentários que responderemos com prazer.  

Quer receber os artigos da Universidade Orgânica no seu e-mail? 

Responsive image

Fabio Morais


Gosto do cheiro da terra molhada e tomar banho de chuva. Gosto da roça, do contato com a terra. Minha profissão! Engenheiro Agrônomo que ama a agricultura orgânica e agroecologia.
  • Nem sempre comemos alimentos seguros, fica a dica do Fabio Morais.

  • Fabiano Dias

    Muito bom Fabio

    • eni walter ferreira

      Fabiano muito esclarecedor, já tínhamos conhecimento sobre os agrotóxicos, temos uma pequena área onde cultivamos muito legumes, verduras e frutas..orgânicas, mas me surpreendeu sobre o arroz, já tínhamos conhecimento sobre o arsenico no arroz.. Usamos arroz integral, mas acho que vamos abandonar o arroz da nossa mesa, pq não tem como cultiva-lo. Estamos muito contente com teu blog…parabéns pela iniciativa…

      • Fabio Morais

        Oi Eni, boa noite! Que bom ter você aqui.

        • eni walter ferreira

          para nós também é um prazer, todo conhecimento é bem vindo…obrigada…

  • Luiz Alberto Araujo

    Comida ruim ninguém aguenta, é a Syngenta
    É veneno em todo canto, é a
    Monsanto
    Mata gente e mata rio, é a Cargil
    Agronegócio a mentira do
    Brasil

    • Fabio Morais

      Obrigado Luiz! Nossa comida está sendo monopolizada. Mas fico feliz que tem muita gente que luta pela soberania alimentar.

  • Thelma Salvatori

    Infelizmente o nosso governo está mais interessado em garantir o lucro da agro-indústria que reverte em impostos, do que zelar pela saúde da população…

    • Fabio Morais

      Essa é a nossa missão Thelma. Compartilhar conhecimentos para estimular a produção de alimentos orgânicos, sem venenos agrícolas e adubos sintéticos. Infelizmente o governo estimula tudo ao contrário e está mais preocupado com os lucros, como você mesmo comentou.

      Continue seguindo a Universidade Orgânica.